A password will be e-mailed to you.

O show estava marcado para as 21 horas do dia 12 de abril, ingressos esgotados, muitas expectativas, estavam ali todos ansiosos, jovens e não tão jovens assim, pessoas que acompanham a pouco tempo e fãs de longa data do famoso canto da cigarra. Entre os corredores do teatro ouvia-se as pessoas todas num zumbido total entoando suas expectativas quase como um mantra, fãs de todas as partes vieram prestigiar o espetáculo “É melhor ser” e como toda gente que ama viver, sempre é bom ser, e muito melhor quando se tem uma cantora do potencial de Simone que é e sempre foi assim, a cantante dos apaixonados, das mulheres, da alma e do corpo brasileiro, desse jeito, ser, fica fácil de uma maneira simples quase que despercebida, mas sempre sendo.

A direção do espetáculo ficou por conta de Christiane Torlloni, grande amiga da cantora, Simone conta que em um jantar em sua casa quando Christiane levava o garfo a boca, fez o convite a amiga que de susto paralisou-se por alguns instantes, mastigou e disse se poderia pensar por alguns minutos, obviamente a atriz sabia o que significava este convite e sabiamente aceitou.

Show da cantora Simone (Foto: Divulgação/Site Simone Bittencourt)

O show foi incrivelmente belo em todos os aspectos da postura da cantora, cenário simples e singelo com um coração vermelho pendurando em um círculo de prata que de vez em quando Simone girava-o dando combustível para a máquina de todos os seres humanos.

E num completo breu a canção “A proposito” (trecho musicado da carta de Fernanda Montenegro enviada a cantora) inicia o espetáculo, com uma percussão agressiva como a batida de um coração eufórico, as luzes se acendem e a contagiante “Mulher o suficiente” levanta o público atento a cada gesto e palavra dita pela interprete. Depois é a vez de “Aquele plano para me esquecer” da cantora e compositora Adriana Calcanhotto que gravou esta canção em seu disco “micróbio do samba”, esta canção é uma delícia a roupagem dada pela cantora caiu como uma luva e mostra com clareza o trabalho delicado do disco e do show de desnudar as canções e toma-las como próprias e desconhecidas mesmo sendo velhas conhecidas dos ouvintes.

Logo é a vez da balada romântica meio bossa nova “Descaminhos” de Joana e Sarah Benchimol, que levemente passeia pelo imaginário do público abrindo os corações e emocionando a muitos. “Só se for” parceria de  Simone com Zélia Duncan é um bolero dançante que dá vontade de dançar agarradinho por horas, aumentar o som e abrir o coração, um bolero com curvas bem definidas e sensuais, uma bela composição, uma delícia esperança alegre aos apaixonados de plantão.

Um dos melhores momentos do show com certeza foi o medley  Haicai (Fátima Guedes) / Vai lavar siri (domínio público) /  Não chora, Neném (Ivone Lara) / Tiê (Ivone Lara / Mestre Fuleiro / Tio Hélio) Simone vem a frente com direito a samba no pé, bater de palmas e com um pandeirinho que ela mesmo toca faz o público passear e se divertir por canções de uma leveza e alegria que a vontade é de abrir uma roda e botar o povo pra dançar como numa festa de rua, Simone não consegue esconder a alegria e o público todo sorri e canta junto. Depois segue com Candeeiro (Teresa Cristina) ainda em clima de festa, e num ar mais calmo “Canteiros” (Fagner sobre poema de Cecília Meireles).

Um dos destaques do show é a versão dada à música “mutante” da cantora e compositora Rita Lee, que o público canta junto e se emociona. “Jura secreta” de Sueli Costa e Abel Silva foi de arrepiar e tirar o folego (pra quem acompanha a carreira da cantora sabe do que eu estou falando) e encerra o espetáculo. De BIS tivemos a maravilhosa versão de “A noite do meu bem” de Dolores Duran e “Alma” de Sueli Costa e Abel Silva, onde Simone se aproxima do público e lhes oferece rosas brancas numa delicadeza e generosidade causando um frisson na plateia.

Se o disco já é belíssimo no show ganhou ainda mais peso e presença, fazendo crescer as interpretações e intenções da cantora num espaço sagrado como o teatro, alimentando a alma de todos ali presente numa noite memorável e inesquecível. E como a cantora mesmo definiu perfeitamente “o disco é cheio de curvas como o corpo de uma mulher” é só ouvindo pra entender.

SETLIST do Show

1. A propósito (Simone sobre carta de Fernanda Montenegro)
2. Mulher o suficiente (Alzira E / Vera Lúcia Motta)
3. Aquele plano para me esquecer (Adriana Calcanhotto)
4. Descaminhos (Joana / Sarah Benchimol)
5. Trégua suspensa (Teresa Cristina / Lula Queiroga)
6. Só se for (Simone / Zélia Duncan)
7. Haicai (Fátima Guedes) / Vai lavar siri (domínio público) /  Não chora, Neném (Ivone Lara) /
Tiê (Ivone Lara / Mestre Fuleiro / Tio Hélio)
8. Candeeiro (Teresa Cristina)
9. Canteiros (Fagner sobre poema de Cecília Meireles)
10. O tom do amor (Moska / Zélia Duncan)
11. Outra vez (Isolda)
12. Só nos resta viver (Angela Ro Ro)
13. Acreditar (Ivone Lara / Délcio Carvalho)
14. Mutante (Rita Lee / Roberto de Carvalho)
15. Charme do mundo (Marina Lima / Antonio Cícero)
16. Primeira estrela (Luli / Lucina)
17. Vida de artista (Sueli Costa / Abel Silva) /
18. Jura secreta (Sueli Costa / Abel Silva)
19. BIS: A noite do meu bem (Dolores Duran)
20. BIS: Alma (Sueli Costa / Abel Silva)

Por Bruno Bueno Requena