Uma senha sera enviada para seu e-mail

O Curitiba Cult está em São Paulo para cobrir a oitava edição do Lollapalooza Brasil. Durante os três dias de evento (05, 06 e 07 de abril), mais de 70 atrações vão se dividir nos quatro palcos do festival, que acontece no Autódromo de Interlagos.

foto por Mila Maluhy

Cobrir evento já é uma tarefa difícil. Agora imagine cobrir um festival de música cheio de ótimas atrações que acontecem continuamente em diversos espaços distantes um do outro. Atravessar uma multidão para chegar em outro palco em questão de minutos faz parte de toda a experiência.

O calor também é um agravante, já que se locomover por entre pessoas e subir e descer o terreno irregular do Autódromo é algo bem cansativo. Quer um dica? Evite calças, principalmente pretas, elas serão a sua pior vilã. Isso eu posso garantir!

Mas nem tudo é tristeza ou sofrimento, muito pelo contrário. Estar em um festival com um magnitude internacional, como é o Lolla, é algo inexplicável. São milhares de pessoas de todos os cantos do Brasil (e do mundo) que estão ali compartilhando toda essa experiência com você.

foto por Mila Maluhy

Sabe quando você entra em uma realidade onde parece que os problemas do mundo não existem? Então, o Lolla é exatamente isso! Você esquece de tudo e se permite ser feliz por algumas horas e esquecer o que acontece no país, ou até mesmo da planilha do trabalho que você deixou para entregar quando voltar.

Mas e os shows do primeiro dia?

Nem só de boas experiências e good vibes se faz um festival. Afinal, as atrações musicais sempre serão o grande chamariz. Mas nisso podemos ficar tranquilos, mais uma vez o Lolla acertou em cheio nesse quesito.

A segunda dica desse texto é a seguinte: planeje bem qual show quer assistir. Essa história de ver um pouco de cada não cola. As distâncias entre os palcos são maiores do que a gente imagina olhando o mapa na internet. Exatamente por isso, conseguimos aproveitar muito bem três maravilhosos espetáculos.

A começar por Troye Sivan. O jovem australiano trouxe toda a sua beleza para o palco Adidas. Foi uma hora de muitas músicas dançantes e declarações de amor pela plateia. O terreno íngreme em frente ao palco estava colorido e repleto de pessoas ostentando orgulhosamente a bandeira gay. Era o verdadeiro Vale que todos sempre sonhamos.

foto por Mila Maluhy

Neste ano tivemos a primeira atração nacional como headliners do festival. E, contrariando o que muita gente imaginou desde o anúncio do Line Up, não há representação maior do que Tribalistas. Gigantes no palco principal, Marisa Monte, Arnaldo Antunes e Carlinhos Brown mostraram que a MPB ainda é muito legal e necessária. Afinal, o trio não apenas abusou do colírio e dos óculos escuros, como fez questão de mostrar que naquele momento único eles eram mais do que três. Éramos toda aquela multidão!

E para encerrar a nossa noite de muita música boa e calorias a menos, finalizamos com o emocionante, delicado e contagiante show de Sam Smith. Com um palco bem produzido, inúmeras trocas de roupa e uma banda e backing vocals poderosíssimos, Smith fez um dos shows mais lotados do primeiro dia de Lolla. Ao olhar pra trás, eram pessoas e mais pessoas se entregando a todo o carisma do britânico. Foi um show completo, que nos levava dos hits mais dançantes às sofrências de amor em questão de segundos. Isso tudo feito de forma muito orgânica e apaixonada.

foto por Camila Cara

Quando o público e artista se conectam e dão o melhor de si, não tem erro. E foi isso que aconteceu nesse primeiro dia de Lollapalooza Brasil. Uma seleção de artistas de primeira, com um público animado para o final de semana que está apenas começando.

A saga continua

O Lollapalooza Brasil continua ainda neste sábado (06) e domingo (07) e você poderá acompanhar alguns vídeos e fotos em tempo real, pelas nossas rede sociais. E claro, o texto do resumo do dia, aqui no nosso site.

 

O texto foi escrito por Augusto Tortato e Matheus Klocker, enviados especialmente para cobrir o evento em São Paulo.