Uma senha sera enviada para seu e-mail

A 26ª edição do Festival de Curitiba já começou! Para você se preparar para o evento, o Curitiba Cult, junto com o Festival, vai trazer para você as notícias mais frescas!

O QUE TEMOS PARA AMANHÃ (3 DE ABRIL – SEGUNDA) NA MOSTRA

Além dos espetáculo que entra hoje em cartaz na Mostra do Festival de Curitiba (Louca Pelo Cheiro do Mar, Moçambique, Blank com Caio Blat), outros entram em cartaz amanhã:

Macumba – Uma Gira Sobre Poder: Macumba – Uma Gira Sobre Poder, espetáculo da Companhia Transitória que integra a Mostra do 26º Festival de Curitiba, trata do empoderamento da mulher e do homem negro. Empoderar-se significa conhecer a sua história e ter consciência da sua cultura e identidade. A Companhia Transitória pergunta: o negro tem poder? Onde o negro tem poder? Neste trabalho o grupo estabeleceu uma parceria com a dramaturga Fernanda Julia, fundadora do Núcleo Afro-Brasileiro de Teatro de Alagoinhas (Nata), que assina a direção.

Próspero e os Orixás: O espetáculo “Prospero e os Orixás – A tempestade”, de Erida Castello Branco, é uma divertida adaptação de peça teatral “A tempestade”, um dos mais importantes textos do dramaturgo inglês William Shakespeare. As apresentações no 26º Festival de Curitiba acontecem na Praça Santos Andrade, nos dias 03 e 04 de abril (segunda e terça-feira), às 17h. A peça de teatro de rua leva para o público, através da simplicidade poética do cordel, o universo da obra povoada de entidades poderosas, controversas e contraditórias. Seguindo o roteiro da história original, a adaptação substitui todos os seres mágicos da obra por entidades igualmente poderosas das religiões afro-brasileiras.

Roque Santeiro: O Festival de Curitiba recebe, nesta 26ª edição, o musical inspirado na trama de Dias Gomes, “Roque Santeiro”. Os personagens que marcaram a década de 80 pelo sucesso da novela exibida pela Rede Globo sobem ao palco na peça dirigida por Débora Dubois. A trilha sonora é assinada por Zeca Baleiro. Flávio Tolezani dá nova vida a Roque Santeiro (José Wilker na novela). Jarbas Homem de Mello interpreta Sinhozinho Malta (papel de Lima Duarte). E a viúva Porcina (Regina Duarte na TV) é interpretada por Lívia Camargo. A história se passa na cidade fictícia de Asa Branca. Tudo começa quando Cabo Roque é dado como morto em batalha, o que faz nascer o mito de um herói na cidade. O comércio e o turismo se sustentam das histórias sobre ele, com a venda de medalhas e festas em homenagem ao soldado, cujo corpo nunca foi encontrado. Passados 15 anos, Cabo Roque reaparece, mudando totalmente a rotina de Asa Branca.

Transobjeto: “Transobjeto” combina dança e performance para investigar as fronteiras entre vida e cena. Idealizado pelo artista Wagner Schwartz, o espetáculo será apresentado nos dias 3 e 4 de abril, às 21h, no Teatro da Reitoria, como parte do MOVVA – mostra de dança que faz sua estreia no 26º Festival de Curitiba. No palco, o coreógrafo fica nu, vira bicho, canta, bebe, dança e fuma. Assim, em tempos de vigorosa disputa estética e política, o público é confrontado com aquilo que o próprio artista define como ‘homem multifacetado da sociedade’. Interessado nos limites da apropriação estética, isto é, na fronteira entre referência e identidade, Schwartz mobiliza os fundamentos do movimento antropofágico, na medida em que evoca a obra de outros artistas, como Hélio Oiticica, Lygia Clark, Caetano Veloso, Carmem Miranda, Pina Bausch, Xavier le Roy, La Ribot, entre outros. Desse modo, com citações históricas no decorrer da performance, o coreógrafo redefine gradativamente a sua identidade, de forma a situar o público sobre o estado do corpo contemporâneo.

Encontro com André Masseno e Ruy Filho

André Masseno, artista de Transobjeto, da Mostra do Festival de Curitiba, se encontra amanhã com o crítico, da revista Antropositivo. A participação no encontro no Paço da Liberdade, às14h, é grátis, limitado à lotação da sala. O evento faz parte do Interlocuções, um desdobramento da Mostra, com debates, oficinas e exibição de filmes que refletem o fazer artístico brasileiro e mundial da atualidade.

Exibição do filme o Rei da Vela

Amanhã, 3/4, também no Paço da Liberdade, às 16h, será exibido o filme o Rei da Vela. Na terça-feira, o filme será novamente exibido e, desta vez, dois grandes nomes do teatro brasileiro vão comemorar 80 anos de vida na ocasião. Os fundadores do Teatro Oficina, José Celso Martinez Corrêa e Renato Borghi, nasceram em 30 de março de 1937. Com direção de Zé Celso e Noilton Nunes, o longa, filmado em 1971, ganhou cópia digitalizada para exibição no ano passado. Baseado na peça de Oswald de Andrade, o filme foi finalizado em 1982, quando Zé Celso voltou do exílio. O enredo fala do golpe do secretário Abelardo II contra seu rei, Abelardo I. Na peça, encenada pelo Grupo Oficina, o tom provocativo e transgressor incomodou a ditadura e o espetáculo chegou a ser censurado.

II Curitiba Mostra: depois de 40 anos de carreira, Nena Inoue faz primeiro solo

A Curitiba Mostra traz cinco das oito das estreias da Mostra, que tem curadoria de Marcio Abreu e Guilherme Weber. E amanhã é a estreia de Para Não Morrer, de Nena Inoue, idealizadora da mostra que traz alguns dos mais criativos nomes da cidade. Nena Inoue, além de idealizadora, participa da mostra com o espetáculo “Para não morrer”, seu primeiro solo em quase 40 anos de carreira, uma parceria inusitada com a preparadora vocal Babaya e o jovem escritor e crítico Francisco Mallmann, que inspirada na obra “Mulheres”, de Eduardo Galeano, aborda temáticas femininas e feministas atreladas a questões políticas, especialmente da América Latina.

Fringe: What the fuck is DIZ

What the fuck is DIZ? é um espetáculo sobre a comunicação (ou a incomunicabilidade) e a potência do discurso. É um jogo através da palavra. O idioma falado é a uberlíngua, língua criada pela companhia a partir dos sons do alemão e francês, em que as palavras cognatas, palavras similares em forma e conteúdo, carregam sentidos e sentimentos da cena. 8 e 9 de abril às 14hs. TEUNI (no prédio da UFPR) na praça Santos Andrade.

Gastronomix: toque mineiro

Entre as 26 opções de cardápios do Gastronomix 2017, dois deles estão temperados com ingredientes e sotaques mineiros dos chefs Felipe Rameh e de Flávio Trombino (ambos de Belo Horizonte). O toque da alta gastronomia dos profissionais poderá ser conferido no ‘Sanduíche de linguiça de cordeiro e coalhada seca de cabra’ do chef Rameh (Alma Chef) e também na barraca do chef Trombino, que vai preparar delicadas porções do ‘Arroz preguento do Bento Coxa – arroz com frango, cogumelos, quiabo grelhado e tomates cereja’ (Xapuri). A 9.ª edição do Gastronomix – primeiro evento de gastronomia ao ar livre do país, que desde 2008 reúne profissionais da cozinha de distintas regiões do Brasil – vai ocorrer nos dias 08 e 09 de abril, no Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba/PR. O Gastronomix tem a curadoria do chef Celso Freire

MishMash: Willian Kreff e Margreet Nuijten

O MishMash, mostra do Festival de Curitiba apresentada nos dias 08 e 09 de abril no ParkCultural do ParkShoppingBarigüi, vai contar com o espetáculo de Willian Kreff acompanhado de Margreet Nuijten. Kreff é acrobata formado na escola de circo em Santos e suas especialidades são acrobacia (solo, dupla e grupo), parada de mão e malabares em geral. Margreet é bailarina contemporânea graduada na Holanda. Ela também trabalha com circo, música e compõem usando teclado, acordeom e voz. Na mostra do festival os dois artistas vão apresentar um número de paradas de mãos acompanhado de acordeom e Margreet, sozinha, vai apresentar um número de tecido em que canta ao vivo.

Esgotados e por esgotar

Os ingressos para a apresentação de Blank, com Gregório Duvivier, e O Pão e a Pedra, acabaram. Neste momento, outros espetáculos estão quase lotados, entre os quais: a apresentação de Blank, com Camila Pitanga, as apresentações de Macumba: Uma Gira Sobre Poder (3, 4 e 5 de abril), e as de Para Que o Céu Não Caia.

Espetáculos cancelados do Fringe

Espetáculos cancelados do Fringe: Amorexia, Ao Vento Ar Puro, As Aves, Dinner Show, Raiz do Sonho, Podre Poder, Simpósio sobre o interminável ciclo dos dias, Teatro de bonecas, Será que a gente influencia o Caetano, Andarte Andarilho, Chapeuzinho Vermelho e o Lobo Bom, Caos, Pedido de Casamento, Alerta de Spoiler, O Lobo, Sobre a Cidade Dias, Teatro e Seus Ofícios – Palco Escola, Várias Coisas com Evandro Santos.

Espetáculos com sessão extra no fringe

Fadinha, a magia está na varinha (SEEC – Auditório Brasílio Itiberê – 02/04 – 10:30), Jonet (Teatro Cleon Jacques, 29/03 19:00 e 04/04 19:00), Penélope Pelo Avesso (Centro Cultural Boqueirão, 31/03 20:00), A princesa cansada e o animal bocejante (Centro Cultural Boqueirão, 31/03 – 14:00), O homem que queria ser Rita Cadillac (TEUNI, 09/04 – 20:00), Versão Proibida – Segundo experimento (TUC, 06/04 14:00), Fabiano Cambota em “Sobre meu pai e outras histórias…” (Bar Curitiba Comedy Club, 31/03 19:30), A Melhor Escolha (Mostra de Teatro Lambe-Lambe, Memorial de Curitiba, 02/04 – 11:30 E 14:30), A menina e o mundo (Mostra de Teatro Lambe-Lambe, Memorial de Curitiba (02/04 – 11:30 E 14:30), Antonina, Little Star (Mostra de Teatro Lambe-Lambe, Memorial de Curitiba, 02/04 – 11:30 E 14:30), A Bruxa (Mostra de Teatro Lambe-Lambe, Memorial de Curitiba, 02/04 – 11:30 E 14:30), Eles cultuam árvores mortas (Mostra de Teatro Lambe-Lambe, Memorial de Curitiba, 02/04 – 11:30 E 14:30), Na Varanda (Mostra de Teatro Lambe-Lambe, Memorial de Curitiba, 02/04 – 11:30 E 14:30), Saudady (Mostra de Teatro Lambe-Lambe, Memorial de Curitiba, 02/04 – 11:30 E 14:30, O Barqueiro ou O Ensaio Sobre a Liberdade Solitária (TUC, 02/04 – 20:00, 03/04 – 14:00, 05/04 – 20:00).

A programação completa do Festival de Curitiba e informações das vendas de ingressos você pode conferir aqui.