Uma senha sera enviada para seu e-mail

Hoje, costuma-se identificar canções folk por sua preferência por instrumentos acústicos, letras de cunho social ou político e, quem sabe, pelo som singular de um banjo. Porém, o gênero nem sempre foi da maneira como o conhecemos; passou por diversas mudanças de estilo e, inclusive, de significado ao longos dos anos. Atualmente, temos nomes como Of Monsters and Men, The Lumineers e, no Brasil, Mallu Magalhães e o grupo Vanguart, mas o panorama dos primórdios do estilo musical eram bem diferentes.

A expressão “folk music” surgiu no início dos anos 1800 para designar a chamada música tradicional (ou folclórica), que está associada à origem, tradição e saber popular dos povos, diferentemente da música criada para consumo popular. A partir de meados do século XX, no entanto, folk deixou de significar puramente música tradicional e passou a incorporar características de estilos mainstream. Esse processo ocorreu durante o “folk revival”, movimento que deu origem ao gênero como o conhecemos nos dias de hoje.

Nos anos 60, aconteceu um segundo “folk revival”, quando o gênero foi resgatado como ferramenta de uma geração rebelde e que buscava expressão e representação social e cultural. Também nesse período, surgiram subgêneros como indie folk, electric folk e folk rock. O apogeu do estilo se deu, ainda na década de 60, com Bob Dylan, considerado um dos ícones do folk norte-americano.

Agora que você já sabe um pouquinho da história do folk, pode tirar alguns minutos para ouvir os cinco artistas/bandas que o Curitiba Cult separou e descobrir se curte esse estilo musical. Confere aí:

Sons of The East

O trio australiano foi formado em Sydney, em 2011, e conta com dois EPs. O primeiro, autointitulado, foi lançado em 2013 e traz o single “Come Away”. O segundo é chamado “Already Gone” e chegou às lojas no fim de 2015. Suas músicas, classificadas como indie folk, são formadas a partir de diversos instrumentos, incluindo banjo, órgão, piano, violão e até o didgeridoo (instrumento de sopro dos aborígenes australianos).

Suricato

A representante nacional da lista é a banda Suricato, formada no Rio de Janeiro em 2009. O grupo é considerado versátil – tem canções que passam pelo indie folk, folk rock e MPB – e ficou conhecido após participar da primeira temporada do reality show SuperStar, exibido pela Rede Globo. O grupo passou a ser um “one man band” após a saída de integrantes; atualmente, Rodrigo Suricato atua sozinho cantando, tocando violão, guitarra, gaita e instrumentos percussivos.

Peter, Paul and Mary

Você já ouviu esses três nomes numa música de Britney Spears (quem lembra de “one, two, three / Peter, Paul and Mary”?), mas o trio é de um período muito anterior à diva pop. Peter Yarrow, Noel Paul Stookey e Mary Travers formaram o grupo em 1960, nos Estados Unidos, e construíram uma carreira de quase 50 anos. Mary faleceu em 2009, mas Peter e Paul continuam no mundo da música, agora como um duo.

Joni Mitchell

Cantora, artista plástica e poetisa, Joni Mitchell fez muito sucesso na década de 70. Foi considerada pela revista Rolling Stone a 75º melhor guitarrista de todos os tempos. Hoje com 74 anos, a canadense é lembrada por suas músicas influenciadas tanto pelo folk rock como pelo jazz.

Bob Dylan

Por sua importância para o gênero, Bob Dylan não poderia estar fora dessa lista. Atualmente com 77 anos, Dylan é reconhecido por seu trabalho como compositor, cantor, pintor, ator e escritor. Foi eleito, também pela Rolling Stone, o 7º maior cantor de todos os tempos e, também, 2º melhor artista da música de todos os tempos, perdendo apenas para os Beatles. A boa notícia para quem gosta do artista é que ele tem uma extensa discografia: foram 34 álbuns de estúdio, 13 álbuns ao vivo e 58 singles.